Viena – parte II

Continuando sobre a cidade de Viena, que eu adorei conhecer e quero muito voltar, você lê os outros dois posts aqui Hotel Sacher – Viena e aqui Viena – parte I, um lugar maravilhoso que eu visitei foi a Belvedere.

O museu Galeria Belvedere é um dos edifícios barrocos mais lindos do mundo, construído pelo Príncipe Eugênio de Sabóia. Ele é composto por dois edifícios o Superior (principal) e Inferior (atrás do prédio principal) divididos por um lindo jardim.

Só conheci o Upper (Superior). Com obras distribuídas em dois andares, é uma galeria especializada em Arte Austríaca dos séculos XIX e XX. Era aqui que se encontrava o quadro retrato  de Adele Bloch Bauer, de Gustav Klimt, cuja história serviu de inspiração para o filme A Dama Dourada, com Helen Mirren.

A Belvedere possui um bom acervo de obras de Gustav Klimt (1862 – 1918) e Egon Schiele (1890 – 1918), os dois mais famosos pintores da Áustria.

IMG_9489

IMG_9491

IMG_9536

IMG_9508

IMG_9497

IMG_9502
Francisco José e Sissi

IMG_9500

O Beijo de Gustav Klimt, sua obra mais famosa.

IMG_9518

IMG_9519
Egon Schiele

O jardim atrás da Upper Belvedere e o outro prédio ao fundo

IMG_9499

À tarde visitei o museu que eu mais gostei, o Kunsthistorisches. É o museu de História da Arte e Belas Artes de Viena. Um dos mais antigos do mundos, de 1891. Fica na Maria Theresien Platz uma praça linda, com o Museu de História Natural na frente. Tem sempre muita gente nos jardins, estudantes principalmente, um ótimo lugar para passear.

O Kunsthistorisches (que nome danado) é enorme! O seu acervo é imenso, desde coleções egípcias e greco-romana até pinturas de Rafael e Vermeer. Esse museu está na categoria me tranca lá dentro e joga a chave fora! Arruma tempo para ir conhecer, não dá para perder. A fachada do Kuns (sou obrigada a abreviar).

IMG_9419

E do outro lado da praça, bem em frente, o Museu de História Natural (não fui, fica para a próxima), pra mim os prédios são idênticos, os cartazes das entradas identificam as exposições que estão acontecendo em cada um

IMG_9876

IMG_9870

No centro da praça o Memorial da Imperatriz Maria Tereza (atrás por causa do sol)

IMG_9422

O prédio do museu é tão lindo e o café Heavenly no térreo maravilhoso!

IMG_9611

IMG_9641

IMG_9622

IMG_9612

IMG_9639

IMG_9631
Peter Doig

IMG_9644

Como sou rata de museu, também fui no Leopold Museum que fica na Museumsplatz, o quartier dos museus em Viena. Um local moderno que abriga obras de Klimt e Schiele e está sempre com muitas exposições.

IMG_9822

IMG_9821

IMG_9859
Egon Schiele

Passear por Viena é sempre uma festa para os olhos – Rathaus – a Prefeitura

IMG_9790 (1).JPG

 

O Parlamento Austríaco, parcialmente destruído na 2ª Guerra, reconstruído em 1956

IMG_9812

IMG_0025

IMG_9457

Mais uma igreja, a St. Peter, do Século XVIII, foi inspirada na Basílica de São Pedro, no final da Habsburgegasse (uma área de pedestres muito legal, com lojas e restaurantes)

IMG_9402

IMG_9578

À noite, outro restaurante que eu gostei muito foi o Palmenhaus, ao lado da Galeria Albertina. Ambiente bonito, ótima comida e atendimento super simpático (a garçonete disse que gostava muito do Brasil porque já tinha namorado um paulista). Aliás, todo lugar que a gente ia, alguém dizia que já tinha namorado um de São Paulo, impressionante. Taxista, vendedora, funcionário do hotel, garçom, etc. E daí “arranhavam” um pouco de português. Então se você não fala alemão e nem inglês, em Viena não se preocupe! Hahaha exagero!

IMG_9709

IMG_9702

IMG_9704

Viena é famosa por seus cafés e um dos mais famosos é o Café Demel, de 1786, fica na Kohlmarkt, perto do Museu da Sissi. Considerado também a melhor confeitaria de Viena, mas fomos para almoçar e a comida não estava boa. Outro famoso é o Café Central, na Herrengasse, Freud e Hitler o frequentavam

IMG_0028.JPG

IMG_0031.JPG

IMG_0035.JPG

Por fim, fomos no Mercado Municipal, gosto sempre de visitar e como sobrou tempo resolvemos ir, não é imperdível, mas é bem legal, gostei. No caminho tem a “calçada da fama”.

IMG_0093.JPG

IMG_0100

Última dica de restaurante em Viena, o DO & CO que fica no prédio do Museu Albertina, a entrada é pelos fundos do museu, na Albertinaplatz, como estava quente (para eles), só estava funcionando a área externa, a interna é bonita, mas não pude ficar lá. Do mesmo grupo da Stephansplatz, aqui o ambiente e a comida são mais casuais.

albertina02
Foto: http://www.doco.com
do & co
Foto: http://www.doco.com

No início das minhas postagens sobre Viena comentei que tinha uma alta expectativa em relação a cidade, na realidade tinha em relação ao que eu queria conhecer: seus palácios, museus e atrações, mas não fazia ideia de que iria gostar tanto da cidade em si: suas ruas, restaurantes, mas principalmente o astral, a energia do lugar que é algo que não se explica, a gente sente. Fui em maio, o clima estava ótimo e acho que isso contribuiu para encontrar as pessoas mais alegres, o inverno já tinha ido embora. A simpatia do vienense é cativante, vai muito além da “só” boa educação. Demonstram prazer em atender e ajudar o turista. É um povo nitidamente feliz, como achei também em Berlim e não achei em Budapeste, mas como tudo na vida, é muito pessoal.

IMG_0005.JPG

Viena me deixou uma ótima impressão e aquela certeza de que como deve ser maravilhoso morar na que foi eleita “a melhor cidade do mundo para se viver”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s